Problemas e lesões

 

Um dos problemas mais comuns da vida moderna é a famosa “dor no pescoço” ou, como é conhecida entre a comunidade médica, cervicalgia. Esse problema acontece devido à rotina moderna, afetando grande parte da população. Os praticantes de thriatlon, esporte que ganha adeptos a cada dia, também podem sofrer com a típica dor na região das vértebras cervicais.

O que é?

Como já citado, trata-se de um problema que acontece na coluna vertebral, normalmente, nas vértebras que ficam próximas à região do pescoço. O principal indicativo da doença fica por conta de uma dor persistente que permanece por dias ou semanas, caso o paciente não procure um tratamento adequado.

As alterações provenientes da cervicalgia podem gerar dor na coluna cervical, dor na nuca, dor na cabeça e, em casos mais extremos, podem deixar tarefas rotineiras praticamente impossíveis de serem feitas como, por exemplo, dirigir, digitar, ou até mesmo assistir TV.

Causas

Grande parte da comunidade médica-ortopédica concorda que a enfermidade ocorre devido a fatores como má postura, estresse, sedentarismo, movimentos repetitivos, entre outros. No caso específico das lesões no thriatlon, o problema surge devido a impactos fortes na coluna, principalmente durante o ciclismo e pelo atleta se manter na mesma posição por várias horas seguidas.

Existem, também, outras causas para o surgimento da cervicalgia. Entre elas estão:

Hérnia de disco cervical: a distribuição incomum do peso na coluna vai, aos poucos, gerando fissuras na região. Nesse local forma-se uma hérnia de disco que causa uma compressão nos nervos e, até mesmo, na medula, gerando dor e incômodos aos pacientes;

Estenose cervical: consiste na redução de um dos canais da espinha cervical, onde fica alocada a medula. Esta redução acaba gerando bicos de papagaio, além de problemas nos ligamentos e nas articulações. Trata-se de uma alteração causada pela rotina e pela má postura.

Problemas degenerativos no disco: ocorre quando os discos vertebrais sofrem com um problema de desidratação profunda. A enfermidade acaba gerando, inclusive, a perda de altura e, com o passar do tempo, pode surgir uma hérnia de disco.

Lesão em chicote: acontece devido a um movimento anormal de hiperextensão na coluna cervical, afetando os músculos da região e ligamentos do pescoço. Os resultados disso são dor intensa, limitação de funções e, nos casos considerados extremamente graves, ocorre o comprometimento neurológico. A causa mais comum da lesão em chicote é o acidente automobilístico.

Sintomas

O principal sintoma da cervicalgia é a dor. Dor na nuca, dor na cabeça e dor na coluna cervical são alguns dos indicativos de que algo errado está acontecendo, mostrando que o paciente deve procurar um médico especialista para o diagnóstico.

Diagnóstico

O diagnóstico da cervicalgia é feito por um médico especialista em coluna, normalmente, ortopedista. Quando o paciente for à consulta, é importante não omitir detalhes do médico e falar das dores, das atividades do dia a dia, dos exercícios, etc. O especialista, de posse dessas informações, somadas ao histórico clínico do paciente, pode pedir alguns exames para verificar os focos de dor e onde, exatamente, está o problema. Exames de imagem podem ser solicitados e, em sua maioria, são radiografias, ressonâncias e tomografias.

Tratamento

Na maior parte dos casos os tratamentos para cervicalgia não são cirúrgicos. O tratamento é feito por meio de sessões de fisioterapia, que buscam o relaxamento da região e a consequente correção postural.

Além disso, analgésicos e anti-inflamatórios podem ser usados para dar andamento ao tratamento. A acupuntura também pode ser utilizada como um complemento ao tratamento tradicional.

As intervenções cirúrgicas só são indicadas para casos mais complexos. Em situações onde a cervicalgia é originada por causa de uma lesão séria, na qual acontece pressão nos nervos ou problemas na espinha. O objetivo da cirurgia é eliminar a lesão, descomprimindo os nervos e reestabelecendo as funções da coluna devolvendo, assim, a rotina do paciente.

Outras Informações

Para evitar que a cervicalgia surja e possa impedir as principais atividades do dia a dia é necessário ter alguns cuidados com a rotina. Corrigir a postura ao andar; sentar em cadeiras confortáveis, aptas a manter a postura correta; praticar alongamentos de maneira regular, principalmente antes das atividades físicas e evitar ficar muito tempo na mesma posição, são alguns deles.

Outra dica fica por conta dos sintomas. Quando o paciente perceber que existe algo errado e sentir o surgimento de dor na cabeça, dor na nuca, ou dor na coluna cervical, ele deve descartar a automedicação. Esse tipo de atitude pode encobrir problemas mais sérios e, no futuro, gerar lesões incorrigíveis.

A ideia é sempre procurar um médico especialista que seja capaz de diagnosticar de maneira correta o problema e receitar a melhor maneira de curar o problema.  A idade, também, é um dos fatores que pode causar a cervicalgia e, nesses casos, o acompanhamento médico é ainda mais necessário, para que não comprometa a qualidade de vida do paciente em questão.