Problemas e lesões

Esse tipo de problema acaba trazendo dor no joelho e impede que atletas, como os que praticam o triathlon, consigam render todo seu potencial nas provas de corrida, natação e ciclismo. Mais do que isso, a tendinite no joelho é uma dor incômoda que pode deixar os afetados desconfortáveis e inseguros para praticar exercícios físicos ou, simplesmente, dar aquela caminhada de volta para casa.

O Que é?

A tendinite é uma inflamação no tendão que se caracteriza, principalmente, por dores e engrossamento dos tendões. Os tendões, por sua vez, são compostos por fibras à base de colágeno e fazem a ligação dos ossos aos músculos em várias partes do corpo, como: cotovelo, joelho, calcanhar, etc.

No caso da tendinite no joelho ou tendinite patelar, a inflamação acontece no tendão do joelho, gerando dor, que pode ser crônica ou aguda, quando a pessoa mexe a perna.

É importante ressaltar que, para esses tipos de dor no joelho, existe uma variação conhecida como tendinite pata de ganso. Esse tipo de lesão é mais vista em atletas que praticam corridas ou esportes de alto impacto, como o triathlon, e gera dor na região interna do joelho.

Causas

A tendinite no joelho acontece, principalmente, por: sobrecarga do tendão, postura inadequada, execução de movimentos repetitivos, saltos excessivos, estresse muscular, atividades esportivas em excesso, uso de equipamentos inadequados e, em alguns casos, pode acontecer do paciente ter alguma doença autoimune, ou seja, o corpo reconhece o tendão como um objeto estranho e trabalha para eliminá-lo.

Essa enfermidade também pode acontecer em indivíduos que possuam desalinhamento dos membros inferiores. Quadris largos, joelhos valgos ou pés em formato de arcos que se chocam quando correm (pronação acentuada) também são causas de tendinite patelar.

Sintomas

O maior sintoma da tendinite é a dor no joelho, em especial se ela for recorrente (pelo menos 45 dias). No caso da tendinite pata de ganso, especificamente, pode acontecer uma bursite no local e um pequeno inchaço após atividades físicas. Nessa situação é bom não confundir a lesão com a bursite no joelho ou condromalácia patelar. Para tanto, a procura de um médico especializado é fundamental para assertividade no diagnóstico e a certeza de um bom tratamento.

Além disso, existem outras possibilidades, como: sensação de cansaço na musculatura dolorida, inchaço e, até mesmo, vermelhidão ao redor do tendão patelar..

Diagnóstico

O diagnóstico é feito por um médico, de preferência ortopedista, que indicará qual o tipo de tendinite que aflige o paciente. De maneira geral, é importante saber que, quando é constatado o problema o tratamento é simples, mas exige alguma disciplina do paciente.

Um ponto fundamental para que o diagnóstico seja correto é explicar para o médico tudo relacionado à dor. Explicar desde quando ela começou, intensidade, se ela gera alterações na musculatura, se acontece fadiga, vermelhidão, enfim, absolutamente tudo que se lembrar.

De posse dessas informações, o médico buscará sinais de dor, sensibilidade e pode pedir testes físicos para cada tipo de tendão. Além disso, o profissional pode solicitar exames de imagem para ter mais certeza do diagnóstico e avaliar o grau da inflamação. Caso exista outro problema que gere dor, é nesse momento que o médico vai descobrir.

Tratamento

O tratamento para as tendinites, em geral, são divididos em duas partes: para aliviar a dor e para evitar que a dor volte a aparecer.

A primeira parte dos cuidados envolve deixar o tendão afetado em repouso. Se o problema, por exemplo, for uma tendinite patelar, a ideia é deitar e evitar exercícios físicos.

As técnicas de fisioterapia são bastante avançadas e, seguindo à risca a recomendação dos médicos, o paciente consegue voltar à sua rotina após um tratamento bem feito. O tempo de repouso vai ser determinado pelo médico e é preciso seguir à risca essa recomendação para evitar lesões piores. Pessoas que praticam o triathlon, por exemplo, não podem nem pensar em desrespeitar esse tempo de repouso, afinal, tudo depende dos tendões e articulações.

Outro tipo de cuidado envolve a aplicação de gelo para diminuir inflamações, medicamentos anti-inflamatórios (sempre receitado pelo médico), acupuntura e fisioterapia para diminuir a intensidade das dores.

Já para evitar que o problema volte a acontecer, as recomendações são simples, mas exigem atenção do paciente. É preciso, por exemplo, realizar correções de postura e, até mesmo, melhorar a maneira como se senta na cadeira do trabalho.

Também é recomendado que se crie o hábito de fazer alongamento dos músculos envolvidos, fortalecimento muscular e respeitar os sinais do corpo (por exemplo, se começar a sentir dor no joelho, parar o exercício ou caminhada).

Existem casos em que esses tratamentos mais conservadores falham e, quando isso acontece, é preciso realizar um procedimento cirúrgico. A ideia é: descomprimir o tendão apertado, realizar limpeza das inflamações (como ressecar fibrose ou calcificações) ou costura-lo para corrigir uma lesão mais séria.

Outras Informações

O uso de medicamentos anti-inflamatórios pode reduzir a dor da tendinite e o inchaço. Injeções localizadas também são alternativas para diminuir dor/inchaço, mas esse tipo de tratamento só pode ser realizado se for receitado pelo seu médico.

É importante não se medicar por conta própria para evitar que o problema piore e esconda outras enfermidades, como por exemplo, uma fascite plantar, problema que acontece na sola do pé, irradia dor e pode ser confundida com uma tendinite no calcanhar.

Também é preciso saber que o retorno às atividades esportivas é feito apenas após o sumiço das dores. Um atleta de triathlon, por exemplo, não conseguirá render o esperado com dores no joelho e não dobrando inteiramente essa articulação.

A grande recomendação é seguir as orientações médicas, descansar, fazer os alongamentos e acompanhar a melhora da dor, para, assim, solucionar o problema e conseguir voltar a fazer as atividades físicas com qualidade e bom rendimento.