Problemas e lesões

A lesão do ligamento cruzado posterior (LCP) acontece após um trauma intenso na região, fazendo com que haja instabilidade na articulação e sintomas como dor e inchaço. O tratamento envolve repouso, fisioterapia e, nos casos mais graves, cirurgia.

A fratura da clavícula, apesar de raramente precisar de cirurgia, requer certa calma por parte do paciente. Isso porque a recuperação se dá por meio da imobilização da região afetado e fisioterapia. O acompanhamento de um especialista é essencial para evitar sequelas e agravantes da fratura. 

Correr, pedalar ou fazer musculação de maneira incorreta são apenas alguns fatores que podem resultar em danos ao joelho, gerando dor e, o esforço repetitivo, pode acabar resultando em problemas mais graves na região. Um desses problemas é a chamada Condromalácia Patelar, nome concedido a um desgaste de uma das cartilagens do joelho.

A lesão do manguito rotador é constituída por danos à musculatura que compõe a estrutura da articulação do ombro e, costuma ocorrer, pela execução repetitiva de movimentos. Esses danos contínuos ao grupo muscular começam a gerar problemas, entre eles a dor no ombro e a limitação de movimentação. Com a idade o risco de lesão no manguito cresce e é preciso mais cuidado nas atividades práticas.

O famoso “manguito rotador” é um grupo de músculos do ombro que é bastante exposto a lesões, principalmente em atletas e, em especial, aos nadadores. Entre as principais lesões que podem acomete-lo, destaca-se a síndrome do impacto no ombro ou, como é popularmente conhecida, “ombro de nadador”.

A capsulite adesiva consiste na perda de elasticidade na região do ombro, fazendo com que o paciente tenha limitação de movimentos e sinta muita dor no ombro. A doença, por sua vez, possui três fases distintas de evolução. No primeiro estágio, surge como uma simples dor e, com o tempo, vai limitando os movimentos do ombro do paciente. Essa fase é conhecida como fase inflamatória.

A artrose é um problema onde a cartilagem, de qualquer parte do corpo, começa a se degenerar. E o processo é lento e doloroso, gerando um tecido cartilaginoso áspero e podendo culminar, caso o paciente não procure ajuda médica, com a sua total destruição, deixando os ossos expostos a atritos incomuns, o que gera dor e limitação do movimento.