Problemas e lesões

Os pés são as estruturas que suportam todo o peso do nosso corpo. Dentro de sua composição, alguns ossos sofrem mais que outros, devido à sua funcionalidade e formato. O calcâneo, osso de maior tamanho nos pés, sofre um impacto intenso e constante toda a vez que estamos de pé ou andando.

A procura por um ortopedista é recorrente devido à dor no calcanhar, dor na sola do pé e dor na planta do pé.  O chamado esporão calcâneo é um problema que surge através de pequenas lesões no osso calcanhar e que, se não for cuidado, pode desencadear no surgimento da fascite plantar.

Vale a curiosidade e o entendimento que, a dor característica desse problema, não vem do esporão, mas sim da inflamação do tendão e da fáscia. As pessoas que praticam esportes de alto impacto, como o thriatlon, corrida, futebol, por exemplo, estão mais sujeitas a esse tipo de problema.

O que é?

O esporão calcâneo é conhecido por seu volume ósseo na base do osso próximo ao tendão de Aquiles ou ainda na base do osso calcâneo, também conhecido como sola do pé. O esporão costuma ser mais recorrente em mulheres entre 40 e 50 anos, mas qualquer paciente está sujeito ao problema.

A inflamação nessa região não afeta apenas o osso calcâneo, mas também os tendões à sua volta. A falta de tratamento adequado, sempre recomendado por um médico ortopedista, pode resultar na calcificação dos tecidos ao redor do calcanhar e, assim, levar à formação dos esporões, que geram uma dor constante ao paciente.

Em alguns casos é possível que aconteça uma pequena acumulação de líquido em uma espécie de bolsa que fica abaixo do esporão. Esse problema é conhecido como bursite calcânea inferior e costuma fazer com que a dor sentida pelo paciente seja mais “pulsante”. É importante saber que esse problema pode acontecer mesmo sem o surgimento do esporão, sendo uma enfermidade independente, cabendo ao médico dar o diagnóstico preciso.

Causas

Existem várias explicações para o surgimento do esporão calcâneo, mas o mais comum é o estresse recorrente na região do calcanhar. Esse impacto constante pode acarretar no surgimento do problema e, pessoas que praticam esportes de alto impacto, podem sofrer mais com esse tipo de problema.

Outro fator que pode conspirar para o surgimento do esporão e da fascite plantar é o uso, além do recomendado, de salto alto ou calçados que sejam pouco confortáveis. Tênis muito velhos, que já não possuem a mesma eficiência de amortecimento e sapatos apertados podem contribuir para o surgimento de dor no pé e dor na sola do pé, gerando incômodo e dificuldade de locomoção.

Sintomas

O principal sintoma do esporão é a dor. Ele não tem como característica apresentar vermilhadão ou inflações visíveis, sendo que o incômodo do paciente que ajuda o médico ortopedista a diagnosticar qual o problema que gera dor no calcanhar, dor na sola do pé ou dor na planta do pé. A dor é aguda e a pessoa costuma sentir “pontadas” na região.

Diagnóstico

Um médico ortopedista conversará com o paciente para entender melhor qual seu problema, onde dói, qual a sua rotina e desde quando o problema vem se manifestando. Munido dessas informações, ele pode pedir alguns exames de imagem apenas para se certificar de que não existem problemas mais graves com os pés do paciente e, assim, entender que a dor advém do esporão calcâneo.

É importante ser muito específico ao conversar com o médico para que ele não confunda os problemas e passe um diagnóstico errado, como por exemplo, acreditar que se trata de uma fascite plantar ao invés de um esporão. Apesar dos tratamentos serem semelhantes, quanto maior a assertividade do médico, menor o período com dores nos pés.

Tratamento

O principal tratamento recomendado pelos médicos é o de repouso e gelo no local em que a dor mais atua, seja na planta do pé, seja no calcanhar. Mergulhar o pé em água bem gelada também alivia a dor local.

Em casos mais extremos, quando o tratamento convencional não surte efeito, é possível que o paciente tenha que passar por algumas sessões de fisioterapia, com exercícios voltados para a musculatura dos pés e panturrilhas. Esses dois processos auxiliarão no controle e posterior sumiço da dor e na volta à rotina.

Outras Informações

Existem algumas dicas básicas para evitar que o esporão surja e acabe gerando um incômodo desnecessário no dia a dia. A primeira recomendação é a de evitar ficar muito acima do peso.

Controlar o excesso de peso é fundamental para os membros inferiores e para os pés, afinal, quanto menos peso o indivíduo tiver, menor o impacto em joelhos, calcanhares, plantas e ossos.

Para quem é praticante de algum esporte, como: corrida, caminhada, thriatlon, atletismo e outra atividade de alto impacto, é ideal sempre utilizar um tênis com amortecimento adequado à sua pisada. Para tanto, é preciso procurar ajuda de um profissional que entenda do assunto, como um ortopedista e pedir indicação sobre o seu tipo de “pisada”.

O calçado adequado ajuda a diminuir o impacto e evita dor no calcanhar, dor na sola do pé e dor na planta do pé. Evitar usar salto alto por muito tempo também é fundamental para prevenir o surgimento do esporão e da fascite plantar. Andar na ponta dos pés também não é recomendado, devido à posição e ângulo extremamente prejudicial que o corpo fica durante esse tipo de caminhada.

Praticar exercícios de fortalecimento também é importante para o não surgimento do problema. Ter as pernas fortes e realizar fortalecimento localizado para a musculatura do pé são alternativas para prevenir o surgimento da enfermidade. Para tanto, é preciso procurar a orientação de profissionais qualificados.  

Uma dica muito simples que pode ser adotada por qualquer um é a de prestar atenção na postura ao andar e sentar. Não ficar com o calcanhar apoiado no chão, pisar com segurança e de maneira uniforme também são pontos a serem observados e que previnem o problema.

Por fim, a última dica é a de investir em palminhas completas. Existem as calcanheiras, produto que auxilia para o alívio da dor, mas que aumentam a pressão na planta do pé. A recomendação é evitar o uso desse produto, a não ser em caso de indicalção médica.