Problemas e lesões

 

O que é?

O joelho humano é composto por diversos tipos de tecidos, ossos, tendões, articulações e estruturas protetoras. Uma dessas estruturas é a cartilagem, componente que serve para revestir as articulações, não só do joelho, mas do corpo todo, e que age para absorver e distribuir as cargas aplicadas pelas nossas atividades do dia a dia.

A cartilagem só consegue exercer essa função devido à sua alta capacidade de deformação ou ajuste. Trata-se de um tecido rico em colágeno e é dividida em camadas, que são chamadas de condrócitos.

Em pessoas que praticam exercícios físicos de alta intensidade, como corrida e bicicleta, não é incomum o aparecimento de uma lesão no local, seja por desgastes do joelho ou por desgaste na cartilagem do joelho.

Causas

Uma lesão da cartilagem do joelho pode acontecer por vários motivos. A artrose do joelho, por exemplo, é uma dessas causas. Mas a prática excessiva e incorreta de exercícios físicos também pode acarretar em lesões que afetem essas estruturas. Outras enfermidades, como a condromalácia patelar e a osteocondrite dessecante, também podem afetar a região e gerar incômodos ao paciente.

Sintomas

É preciso entender que, lesões na cartilagem, dificilmente geram dor. E isso acontece pela falta de vascularização natural das cartilagens que, além disso, também não apresentam estruturas nervosas e, por essas razões, a dor não é um sintoma dos mais comuns.

Entretanto, algumas pessoas podem reclamar de incômodos na região, seja em repousou ou fazendo exercícios, como os que envolvem o thriatlon ou atividades com peso. Se a pessoa sentir algum problema relacionado ao joelho e não investigar, pode acontecer da lesão piorar e gerar fraqueza no joelho, relacionada à perda de massa, desequilíbrio muscular e instabilidade dos ligamentos.

Em casos bem mais graves, se um pedaço da cartilagem se romper e se soltar, pode acontecer o bloqueio da articulação e, talvez, um derrame localizado. Em caso de dúvidas sobre a existência ou não de uma lesão, o mais indicado é procurar um médico ortopedista de confiança.

Diagnóstico

Já que a lesão dificilmente gera dor, como falamos acima, a maneira mais segura de diagnosticar uma lesão da cartilagem do joelho fica por conta dos exames de imagem, seja raio-X ou ultrassom.

O ortopedista, munido dessas imagens e conhecedor da rotina do paciente, poderá indicar o tratamento adequado e qual a enfermidade que o acomete, seja lesão, desgaste do joelho ou desgaste da cartilagem do joelho. Diante disso, a recuperação poderá ser cirúrgica, com medicamentos ou, até mesmo, com exercícios localizados.

Tratamento

A cartilagem é uma estrutura com potencial de cicatrização bastante reduzido se comparado ao resto do corpo. Seu tratamento pode ser cirúrgico ou não, tudo dependerá, de quando a lesão foi diagnosticada e qual a sua gravidade.

O tratamento considerado conservador utiliza gelo, repouso e elevação da perna enquanto se descansa. É possível que o médico ortopedista receite algum remédio, como anti-inflamatórios ou corticoides.

É importante ressaltar que, conforme a dor for passando, é necessário aumentar os exercícios e atividades sobre o joelho, para que as atividades possam voltar à normalidade e, também, para ter a certeza de que o tratamento foi satisfatório e resolveu o problema.

Em casos de lesões mais sérias, é possível que seja necessário realizar um procedimento cirúrgico. A artroscopia de joelho, por exemplo, é um processo que pode ser utilizado para corrigir alguns problemas.

No caso de pessoas que praticam esportes que possuem contato, como o futebol, o sintoma da lesão pode ser o da dor intensa. Movimentos de rotação da articulação podem gerar o rompimento de ligamentos e danos à cartilagem. Nesses casos, especificamente, é necessário um procedimento cirúrgico para correção.

Os mais comuns são:

Microperfurações: O joelho do paciente recebe alguns pequenos furos que têm como objetivo gerar um sangramento no local. A expectativa é que seja produzido o que a comunidade médica chama de “tecido cicatricial fibrocartilaginoso”, ou seja, o procedimento “força” uma cicatrização que, se não é 100% natural, auxilia na recuperação das cartilagens.

Mosaicoplastia: Trata-se de uma cirurgia de substituição. É retirado um fragmento de osso com cartilagem de outra parte do corpo do paciente e colocado na lesão.

Cartilagem Sintética: Existe a possibilidade de, por desgaste do joelho ou desgaste da cartilagem do joelho, o médico optar por substituir a cartilagem por um material sintético de maior resistência. Claro que, nesse caso, o paciente não sentirá mais dor.

Transplante de Condrócitos: O mais caro dos tratamentos, esse tipo de procedimento envolve a cultivação de células de cartilagem em laboratório. Em caso de lesão, essas células são reaplicadas no local. Por ser um tratamento de custo muito elevado, ele não é muito utilizado no Brasil.

Prevenção

Falamos muito sobre as lesões da cartilagem do joelho, mas é claro que existe a possibilidade de trabalhar para evitar que elas surjam. A primeira dica para evitar esse problema é a de sempre, para qualquer atividade física praticada utilize materiais adequados. Tênis voltados à sua pisada, suportes para o joelho e descansar quando sentir alguma dor são procedimentos simples que podem evitar o surgimento de um problema grave.

Fazer os exercícios na intensidade correta também é muito importante. Forçar muito o corpo além de seu limite, seja para o levantamento de peso ou para esportes de resistência, como corrida, natação, thriatlon, etc podem acarretar em uma lesão a longo prazo. Conhecer seus limites e cuidar para que as articulações não sofram grandes impactos e torções é fundamental para que o corpo consiga se manter saudável e em constante recuperação das atividades realizadas.

Praticar sempre atividades que foquem no fortalecimento muscular também é uma maneira de evitar problemas nas cartilagens do joelho. Realizar trabalhos de aquecimento antes de qualquer exercício físico também é um procedimento que auxilia na prevenção de lesões.