Problemas e lesões

A região do ombro conhecida como manguito rotador é composta por um grupo muscular que é o responsável por ajudar na sustentação do ombro e por auxiliar em sua movimentação, levando em conta a grande amplitude e rotação que essa área do nosso corpo consegue fazer.

Os problemas nessa região acontecem quando há danos às estruturas musculares, seja por causas naturais, seja por movimentos repetitivos. O problema acarreta dor, limitação de movimentos e, até mesmo, a perda de força.

Para os atletas de triathlon, por exemplo, o problema pode afetar o rendimento como um todo, comprometendo o rendimento na natação, limitando a movimentação das corridas e gerando muita dor na bicicleta, pela força feita para sustentação.

O que é e suas causas

Como citado, a lesão é constituída por danos à musculatura que compõe a estrutura da articulação do ombro e, costuma ocorrer, pela execução repetitiva de movimentos. Esses danos contínuos ao grupo muscular começam a gerar problemas, entre eles a dor no ombro e a limitação de movimentação. Com a idade o risco de lesão no manguito cresce e é preciso mais cuidado nas atividades praticas.

O grau da lesão pode variar, saindo de uma inflamação e evoluindo até uma ruptura de músculos ou tendões da região. É possível, também, que o rompimento do manguito aconteça em uma única lesão, o que faz com que o médico precise agir de maneira rápida e precisa para evitar danos ainda maiores.

Sintomas

Os principais sintomas do problema são:

- Dor no ombro;

- Impossibilidade de dormir sobre o ombro afetado;

- A descrição do problema, feita pelo paciente, ser a de uma dor intensa no ombro;

- A perda de rendimento nos esportes e atividades feitas no dia a dia;

- Trauma muito forte na região do ombro e

- Idade avançada.

Diagnóstico

Para que seja feito um diagnóstico correto é preciso procurar um ortopedista que seja especialista em ombro e braço. O médico pedirá para que o paciente realize alguns movimentos, pressionando certas regiões do ombro, buscando indicadores de que a lesão é, de fato, a do manguito rotador e não outros problemas, como: Artrose no Ombro, Bursite no Ombro, Instabilidade Glenoumeral, Luxação do Ombro ou Tendinite no Ombro.

Claro que, além disso, ele pode solicitar algum tipo de exame de imagem, como raio-x, ultrassom e uma ressonância magnética, com o objetivo de identificar problemas na musculatura e buscando por rupturas nesse tipo de exame.

Tratamento

O tratamento para esse tipo de dor no ombro acaba dependendo do grau da lesão. Se for um problema mais simples, é possível que ele seja curado através de descanso, fisioterapia e a aplicação de compressas de gelo na região.

O médico pode optar por outras modalidades de tratamento, como infiltrações ou a cirurgia, sendo esse, o último recurso.  

A fisioterapia, tratamento mais recomendado, busca realizar exercícios que auxiliem na diminuição da inflamação e da dor, além de fortalecer os músculos da região. Com o passar do tempo e a realização correta dos procedimentos, o paciente conquista uma postura mais correta e com menos chances de ter o problema novamente.

A cirurgia, por sua vez, tem a função de reparar o tendão ou, até mesmo, retirar algum esporão no osso do ombro, que possa gerar a lesão no manguito. Os processos cirúrgicos evoluíram muito nos últimos anos e a artroscopia, que é uma cirurgia menos invasiva, é a mais utilizada.

As evoluções nesses processos acabaram ajudando muito na recuperação do paciente, que possui um retorno melhor na cicatrização. É importante ressaltar também que, até que ocorra uma cicatrização total do tendão, nenhum esforço de sobrecarga deve ser feito, para que não exista o comprometimento do reparo. É recomendado que se use uma tipoia por algumas semanas, para garantir a recuperação plena.

Com o passar do tempo, algumas atividades são liberadas, como alongamentos e o levantamento do braço. Com três meses de cirurgia e tratamentos, os esforços considerados leves já são mais recorrentes e, as atividades físicas mais intensas, possuem um tempo de recuperação mínimo de 6 meses. O acompanhamento contínuo do tratamento por parte do ortopedista é fundamental para que o tratamento siga uma linha contínua.

Após a conclusão da recuperação, é preciso fazer o fortalecimento da musculatura local, buscando mais estabilidade e procurando evitar que o problema volte a surgir futuramente. Os exercícios podem ser recomendados por um fisioterapeuta e precisam ser seguidos à risca, até para não gerar um desequilíbrio com o outro ombro, que pode não ter sido afetado pelo problema de lesão no manguito.

Outras Informações

A maior recomendação que um paciente pode receber é a de que, quando surgir uma dor no ombro que não seja comum, que seja mais profunda e intensa, que procure um médico ortopedista o quanto antes. Saber do que se trata a doença e ter um diagnóstico preciso logo de cara pode evitar que a pessoa fique “de molho” por longos períodos.

Não se automedicar, tomando anti-inflamatórios ou remédios para dor, também é importante para não postergar um tratamento que, se feito no começo da lesão, tende a ser menos trabalhoso e limitador ao paciente. Ao ter uma dor persistente procure um ortopedista especializado.