Problemas e lesões

 

O ombro do ser humano é a articulação mais móvel do corpo. Além disso, devido à sua mobilidade, também é uma das mais complexas e menos instáveis de todo o nosso organismo.

O famoso “manguito rotador” é um grupo de músculos do ombro que é bastante exposto a lesões, principalmente em atletas e, em especial, aos nadadores. Composto pelos músculos subescapular, supra-espinhoso, infra-espinhoso e redondo menor, ele tem uma grande importância para manter os ombros estáveis, fortes e móveis. Entre as principais lesões que podem acomete-lo, destaca-se a síndrome do impacto no ombro ou, como é popularmente conhecida, “ombro de nadador”.

O que é?

Como citado, o problema é relacionado ao grupo muscular que sustenta e movimenta o ombro. Mas engana-se que a lesão é simples e de fácil tratamento. Diversos pesquisadores do segmento ortopédico dedicaram parte de seu tempo para compreender e classificar a lesão. O resultado é um ensaio apresentando por Neer onde a lesão é ramificada em três fases que podem ser entendidas como:

- No primeiro estágio o paciente sente inchaços e podem acontecer hemorragias, além de dores no ombro e limitação de movimentação;

- A segunda fase é composta pela tendinite e fibrose, ou seja, a cicatrização errada do machucado, gerando mais dor e outros problemas e

- O terceiro estágio fica por conta dos problemas no manguito rotador, esporões ósseos e, talvez, a ruptura de tendões do braço.

Como é possível observar, o problema é sério e precisa ser diagnosticado com precisão e tratado com a máxima cautela para evitar que aconteçam rupturas e sequelas no paciente.

Causas

Entre as principais causas do surgimento do problema, a principal é praticar o esporte de maneira errada, ou seja, com a técnica incorreta. O nado crawl é um dos mais praticados pelo mundo e, se as braçadas forem executadas “para fora” ou “para dentro” repetidas vezes, a lesão tem mais predisposição de aparecer.

Estima-se que, o maior pico de sobrecarga do ombro recai no momento em que o braço está elevado na altura máxima, durante uma braçada. E, quando o ângulo de rotação interna ultrapassa o limite normal, ocorre um desgaste que, repetido diversas vezes, gera o problema de síndrome de impacto no ombro. O excesso de treino, ou overtrainning, também é um fator que contribui para o surgimento do problema.

Sintomas

Entre os principais sintomas do ombro de nadador, vale destacar os seguintes:

- Dor no ombro;

- Queda de desempenho na atividade, aliada a dor;

- Dificuldade em levantar o braço

- Sensação de um “choque elétrico” no ombro ao praticar o esporte ou fazer algum esforço;

- Formigamento.

Diagnóstico

O diagnóstico precisará ser feito por um médico ortopedista e necessitará de alguns processos para que não exista a confusão com outras doenças, como: artrose no ombro, capsulite adesiva, tendinite no ombro ou bursite no ombro.

Para ter certeza da natureza da lesão o médico conversará com o paciente sobre a sua rotina, tentará entender os focos de dor e, com certeza, pedirá exames de imagem, como ressonância magnética e ultrassonografia da região.

De posse dos resultados, será possível iniciar os tratamentos e indicar o melhor caminho para a recuperação plena do paciente.

Tratamento

Os principais tratamentos para o problema envolvendo a síndrome do impacto no ombro são: fisioterapia, fortalecimento muscular e o repouso.

Entre os principais fatores vale dizer que, equilibrar as forças, faz com que os músculos agonistas, ou seja, os que são usados no exercícios, fique tão forte quanto os antagonistas, fazendo com que o atleta fique forte por inteiro.

É comum que, entre os nadadores, as forças dos músculos sejam desproporcionais, até pela atividade desempenhada pelos músculos dos ombros. A rotação interna, por assim dizer, exige mais força de alguns músculos, ressaltando ainda mais a necessidade de fazer um tratamento preventivo de fortalecimento.

Caso o atleta não opte por esse tipo de tratamento preventivo, pode ter que enfrentar uma dura carga de fisioterapia para recuperar o tempo perdido. O ideal é praticar a natação e, ao mesmo tempo, observar o potencial muscular dos ombros para identificar, logo no começo, se existe uma desproporção de forças no corpo. A partir disso, iniciar o fortalecimento já ajuda muito a evitar o surgimento do problema.

Diminuir a carga dos exercícios e tratamentos envolvendo a acupuntura também podem ser recomendados para a diminuição parcial da dor.

Outras Informações

Prestar atenção em como o exercício é praticado é fundamental para evitar que o problema apareça nos atletas envolvidos com a natação. Praticar sempre musculação, observar a questão da força e ficar atento às dores que, eventualmente, possam surgir são fundamentais para evitar ao máximo que o problema apareça.

Trabalhar de acordo com o treino, não se exercitar muito mais do que o recomendado e seguir qualquer tratamento À risca também é fundamental para que o problema desapareça de vez. É importante evitar se automedicar com analgésicos e relaxantes musculares. Esse tipo de processo pode encobrir uma lesão grave que, no futuro, cobrará seu preço no tratamento e na ausência da atividade.