Problemas e lesões

 

Todos os praticantes de esportes, sejam eles atletas profissionais ou casuais, têm uma intensa preocupação com a proteção de suas articulações. Claro que, dependendo do tipo de esporte, essa preocupação varia.

Um corredor, por exemplo, se preocupa mais com tornozelos e joelho. Um tenista, com cotovelos, ombros, joelhos e quadril. Um atleta de triatlo se preocupa com todas elas, tendo em vista a complexidade do esporte e a exigência dele para seu corpo.

O ponto em comum para todos esses atletas, como pudemos perceber, é a articulação do joelho. Extremamente importante para a mobilidade, mas também muito exposta a lesões e problemas ligamentares, o joelho é fundamental para a mobilidade.

Diante dessas informações, é preciso se atentar a uma enfermidade que atinge a região e é conhecida por tendinite da pata de ganso, problema que causa muita dor no joelho e precisa ser cuidado por um médico ortopedista especialista em joelho.

O que é e por que acontece?

A tendinite da pata de ganso, também conhecida como tendinopatia anserina, é uma inflamação que acomete três músculos: semitendíneo, sartório e grácil. Eles estão presentes na região do joelho e tem como principal função realizar o movimento de flexão articular. O nome de "tendinite da pata de ganso" é dado devido ao local onde os três músculos se unem, lembrando o formato da pata do animal.

Essa lesão, que possui um nome diferente, é caracterizada por dor na região interna do joelho, um pouco abaixo da articulação. Além da inflamação característica de uma tendinite, ainda pode ocorrer bursite (inflamação da bursa) no local e, até mesmo, inchaço após atividades físicas muito intensas.

Essa inflamação costuma acontecer devido ao chamado ‘estresse excessivo’ do joelho, como rotações súbitas e muito intensas. Quando um corredor, por exemplo, coloca todo o seu peso apenas em uma perna e se inclina para fazer uma curva fechada, pode ocorrer uma sobrecarga na região capaz de provocar a inflamação.

Diagnóstico

Para ter a certeza do problema e que ele não está associado à outra lesão, ou a algo mais sério, o ideal é ir a um médico ortopedista especialista em joelho, para que ele possa fazer um exame de físico de toque na região e, se necessário, pedir exames de imagem, como ressonância ou raio-x.

De posse dessas informações, analisando os sintomas e o relato do paciente (que listará quais são as atividades do dia a dia e quais esportes pratica – informando frequência, intensidade e se houve algum acontecimento inesperado nos últimos dias), o médico poderá indicar, com base na medicina esportiva, o tratamento e os medicamentos corretos para a recuperação do paciente.

Sintomas

Esse processo de estresse excessivo causará uma incômoda dor no joelho. Outros sintomas importantes, além da dor no joelho, envolvem:

- Dificuldade em estender a perna;

- Inchaço aparente na região do joelho lesionado;

- Instabilidade ao pisar/correr;

- Dor ao subir e descer escadas;

- Sensibilidade ao toque;

Tratamento

O principal tratamento recomendado pela comunidade médica para a tendinite da pata de ganso é a fisioterapia. O médico ortopedista especialista em joelho, em um primeiro momento, indicará ações específicas para diminuir a inflamação. O paciente fará uso de medicamentos anti-inflamatórios, gelo, aplicação de laser de baixa potência e depois passará à fisioterapia.

Os exercícios passados ao paciente na fisioterapia terão como principal objetivo fortalecer e alongar as áreas da musculatura adutora do quadril; do quadríceps; e dos músculos que formam a pata de ganso (sartório, semitendinoso e grácil). Em associação aos exercícios, ainda poderão ser usados laser, TENS, ultrassom, acupuntura, terapia miofascial e mesoterapia.

É importante lembrar que, durante o tempo de recuperação da lesão, o paciente também deve repousar e só voltar às atividades quando o médico permitir.

Com base na medicina esportiva, é preciso entender qual a causa da tendinite da pata de ganso e como resolver a questão na causa. A comunidade médica estima que esse problema ocorre devido à uma falha na musculatura lateral do quadril.

Esses músculos são os responsáveis por manterem o joelho alinhado durante a corrida e, esse desarranjo muscular, pode resultar em problemas na articulação, como é o caso da tendinite da pata de ganso. A fisioterapia, por sua vez, terá o trabalho de ajudar no fortalecimento dos músculos periféricos ao joelho, para evitar a sobrecarga e o desalinhamento do joelho.

Também existem outras técnicas, que ensinam o atleta a melhorar e corrigir a pisada, fazendo com que ele aprenda a contrair os músculos do tornozelo na hora certa, buscando manter a pisada alinhada e reta e, claro, fortalecendo a musculatura dessa região.

É fundamental se atentar à dor e aos sintomas para não postergar um tratamento que é simples, mas que se não for feito no tempo certo, pode resultar em um problema ainda maior. Tomar medicamentos por conta própria ou forçar ainda mais o joelho durante os exercícios são atitudes que podem prejudicar a articulação e piorar o quadro. Ao menor sinal de dores ou instabilidade no joelho, a recomendação é procurar um ortopedista especializado em joelho.