Problemas e lesões

 

O que é?

O tendão de Aquiles ou tendão calcâneo é o maior tendão do corpo humano. Localizado na parte de trás do calcanhar, ele é responsável por conectar dois grandes músculos da panturrilha (o gastrocnêmio e o sóleo) aos ossos do calcanhar.

Ele é uma das partes do corpo mais exigidas durante a prática de esportes como a corrida e o ciclismo, ou ainda, o triathlon. Quando falamos em tendinite do calcâneo estamos, portanto, nos referindo ao processo de inflamação que ocorre nesse tendão específico e que é uma das lesões mais comuns no triathlon.

A tendinite do calcâneo é um problema degenerativo, ou seja, que pode evoluir até chegar a um rompimento total ou parcial do tendão, quando não há o tratamento adequado. Na maioria das vezes, a inflamação pode ser resultado de músculos rígidos ou fracos da panturrilha; uso excessivo da articulação; técnicas incorretas; entre outros motivos, podendo ou não ser resultado de outras lesões e infecções na região.

Apesar de se tratar de um problema bastante comum e frequente entre atletas de modalidades como o triathlon, vale a atenção aos sintomas a fim de evitar consequências mais graves – como um rompimento do tendão, que geralmente só pode ser tratado cirurgicamente. A tendinite de Aquiles pode ser evitada com a ajuda da medicina esportiva, de maneira a minimizar os riscos e chances de recorrência.

Quais as causas?

O tendão de Aquiles inflamado costuma ser uma consequência de treinamentos excessivos com movimentos repetitivos, tensão acima do normal, prática de técnicas incorretas, ou despreparo físico, principalmente entre atletas.

Na maioria das vezes, a inflamação surge junto com a dor no calcanhar por conta de um conjunto de pequenas lesões (também conhecidas como microtraumas), acumuladas ao longo da prática de atividades esportivas. Sendo assim, é significativo considerar que quando não há a recuperação total de uma lesão, é possível que a tendinite do calcâneo se desenvolva.

Entre essas causas, existem ainda outros pequenos fatores que podem prejudicar a articulação, aumentando ainda mais a tensão no tendão e os riscos uma tendinite. O uso de calçados inadequados durante as atividades físicas, a prática em terrenos irregulares ou muito inclinados, a falta de flexibilidade dos músculos da articulação, ou ainda presença de outras doenças como a artrite, ou uso contínuo de certos medicamentos são alguns deles.

Quais são os sintomas?

O principal sintoma da tendinite do calcâneo é a dor no calcanhar ou, mais especificamente, dor no tendão de Aquiles. Além disso, o paciente pode se queixar de inchaço na região, sensibilidade ao toque, rigidez nos movimentos e dificuldade em caminhar normalmente.

Em alguns casos, é comum que a dor no tendão de Aquiles ou calcanhar diminua no decorrer da atividade física, mas piore logo após a parada do exercício ou de manhã, ao acordar. Com a evolução da lesão, sem o tratamento adequado, a dor se torna cada vez mais intensa e constante, muitas vezes mesmo durante o repouso.

É ainda importante se atentar à dor que surge de repente, como uma espécie de fisgada e que envolve dificuldade em caminhar, pois pode indicar a ruptura do tendão. Em qualquer que seja a situação, o paciente deve interromper imediatamente qualquer prática esportiva e procurar a orientação de um médico.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico do tendão de Aquiles inflamado é bastante simples e principalmente clínico. O médico deve fazer perguntas sobre os sintomas, a rotina e o histórico do paciente antes de partir para o exame físico, que costuma envolver alguns exercícios como apoiar ou levantar o calcanhar do chão.

Para um diagnóstico mais específico, dependendo de como for o resultado da consulta, pode ser necessário a realização de exames (como ecografia ou ressonância magnética).

Quais os tratamentos disponíveis?

O tratamento mais indicado vai depender bastante do diagnóstico e da gravidade da lesão. Se envolver rupturas, por exemplo, pode ser necessária a realização de uma cirurgia para reconectar o tendão. Neste caso, apenas o médico poderá indicar a melhor maneira de tratar a tendinite do calcâneo de acordo com o diagnóstico, histórico e necessidade do paciente.

O método conservador, que costuma ser a primeira opção de tratamento quando não há ruptura, envolve repouso e interrupção de qualquer atividade física no primeiro momento. Pode também ser recomendado o uso de medicamentos analgésicos ou anti-inflamatórios que ajudem a aliviar e tratar a dor, bem como compressas de gelo.

Depois, a fisioterapia e a medicina esportiva vão auxiliar o paciente na recuperação total da articulação e no retorno às práticas esportivas de maneira segura, com a finalidade de evitar novas lesões.

Quanto antes for iniciado o tratamento, melhor e mais rápido será o resultado. Normalmente, o tratamento convencional da tendinite de Aquiles (sem cirurgia) leva de 3 a 6 meses, mas esse tempo vai depender bastante do próprio paciente e do nível da lesão.

Como prevenir?

É possível ainda trabalhar na prevenção da tendinite do calcâneo tomando alguns cuidados simples na hora dos treinos e com a ajuda da medicina esportiva. No caso do triathlon ou ciclismo, por exemplo, vale prestar a atenção ao ajuste correto da bicicleta. Quanto à corrida, é importante se atentar à superfície escolhida, além de sempre realizar exercícios de alongamento tanto antes, quanto depois do treino.

Treinos equilibrados com aumento gradual de intensidade, sempre respeitando os limites do atleta, também são muito importantes. Após o esforço, o corpo precisa de um tempo de descanso e recuperação que deve ser levado em consideração, além do cuidado em realizar exercícios de preparo físico e fortalecimento da musculatura.