Problemas e lesões

Todo praticante de esporte, seja ele de baixo impacto ou de alto impacto, com certeza já ouviu falar da famosa entorse de tornozelo. A lesão, que tem por característica principal causar estiramento ou ruptura dos ligamentos do tornozelo, pode trazer consequências danosas ao paciente se não for tratada de maneira correta e rápida. Esportes que exigem muito das pernas, como futebol, futsal, vôlei e triathlon, estão mais associados a pacientes com o tornozelo torcido.

O que é?

Como citado, o problema é caracterizado pelo tornozelo torcido, mas existem graus para sua lesão. E são três tipos diferentes. O primeiro grau da entorse de tornozelo é caracterizado pelo estiramento dos ligamentos, sem que exista a ruptura, deixando inchaço e dor no tornozelo.

Já o segundo grau é conhecido como lesão ligamentar parcial. Problema que pode gerar instabilidade articular e gera dor, inchaço e, até mesmo, edemas.

Por fim, o terceiro grau, que é o mais grave, é conhecido por lesão ligamentar total. Quando o problema chega a esse nível, as pessoas possuem dificuldades para andar e deixam de ter firmeza na sustentação do próprio corpo.

Causa

O fato gerador do problema é o movimento brusco realizado de forma errada, que pode acontecer ao caminhar, correr ou praticar um esporte, ou até mesmo em situações menos prováveis como pisar errado ao descer de um degrau, por exemplo.

A entorse de tornozelo faz parte das principais lesões no triathlon, um dos esportes que mais exige do corpo humano. A lesão também pode acontecer em esportes que tenham salto, tendo em vista que o impacto com o chão pode acontecer de maneira errada, gerando dor no tornozelo e fazendo com que o paciente necessite da orientação de um ortopedista.

Sintomas

Os principais sintomas do tornozelo torcido são:

- Dor no tornozelo;

- Dificuldade de movimentação;

- Inchaço no pé e no tornozelo.

Diagnóstico

Os processos de diagnóstico e tratamento precisam ser feitos por um ortopedista. O responsável conversará com o paciente para compreender melhor sua rotina e fará exames clínicos, observando a região e apertando o tornozelo para entender onde está o problema.

Se achar necessário, o ortopedista também pedirá alguns exames de imagem para ter a ideia exata do grau da lesão. Normalmente são pedidos exames de raio-x, que conseguem indicar se há fratura ou uma lesão mais grave no tornozelo torcido. Assim, com todas essas informações em mãos, o médico conseguirá indicar os melhores tratamentos e alguns medicamentos, se necessário.

Tratamento

Se a lesão do paciente for leve, o tratamento será convencional – que envolve repouso, compressas de gelo e elevação do pé. Esse tipo de cuidado também serve para diminuir as dores e os inchaços.

Para controlar a dor não é incomum que sejam receitados anti-inflamatórios e analgésicos, mas é importante ressaltar que esse tipo de medicação deve ser tomada apenas após prescrição médica.

Em casos um pouco mais graves, a fisioterapia pode ser recomendada para ajudar o paciente a voltar à sua rotina. O tornozelo torcido pode passar por esse processo para adquirir mais força, evitando que o problema aconteça novamente.

Além disso, a fisioterapia auxilia na diminuição da dor e na reeducação dos pés, para que a postura fique correta e os movimentos sejam feitos de maneira mais assertiva, evitando também, que a entorse de tornozelo volte a acontecer.

Em casos graves, onde a fisioterapia e o repouso não resolvem a questão, o médico pode pedir mais exames de imagem, como a ressonância e optar por recomendar novos exercícios. Em casos extremos, onde a ruptura foi total, a cirurgia será recomendada para curar o problema. O pós-operatório será feito com imobilização, remédios para dor e fisioterapia para que, aos poucos, o paciente volte a sua rotina.

A dica que a comunidade médica dá para quem sofre com esse tipo de lesão é evitar tomar remédios por conta própria. Mesmo sendo às vezes só uma dor leve, é importante consultar um médico para ter a certeza de que nada mais sério aconteceu. Se automedicar, em alguns casos, esconde uma lesão que pode comprometer outras estruturas, como cartilagens e a própria articulação.