Problemas e lesões

A fratura do ombro, ou fratura do úmero proximal acontece principalmente em situações de queda ou de grande impacto. Na maioria dos casos ela pode ser tratada apenas com imobilização seguida de fisioterapia. Já nos casos mais graves, é necessário que haja uma intervenção cirúrgica.

A rigidez do cotovelo é um problema bastante comum e que pode estar relacionado a fraturas do cotovelo, luxações ou até mesmo doenças como a artrose. A medicina esportiva pode ser decisiva para o paciente tanto no tratamento quanto na prevenção.

A Síndrome do estresse tibial medial, mais conhecida como canelite, é uma das principais e mais frequentes lesões em esportes como o triathlon. Na maioria das vezes, está relacionada à sobrecarga e estresse da região.

O overtraining é um estado de fadiga patológica que causa no atleta uma diminuição de rendimento excessiva, acompanhada de sintomas que incluem fadiga muscular, além de alterações psicológicas, cognitivas, sociais, fisiológicas e físicas.

A tendinite do calcâneo ou tendinite de Aquiles é uma das lesões mais comuns no triathlon, podendo ser causada por uma série de fatores (como pequenas lesões não recuperadas completamente, tensão ou despreparo físico, ou até mesmo treinamentos excessivos).

A entorse de tornozelo é uma lesão, que tem por característica principal causar estiramento ou ruptura dos ligamentos do tornozelo. A lesão pode trazer consequências danosas ao paciente se não for tratada de maneira correta e rápida.

A epicondilite lateral ocorre quando o osso proeminente localizado próximo ao úmero se torna dolorido e sensível. A dor é justamente chamada de ‘cotovelo de tenista’ por conta do excesso do uso dos músculos e tendões locais, já que há o movimento excessivo do braço no esporte praticado.